13/05/2022 às 18h06min - Atualizada em 14/05/2022 às 00h00min

5 ganhos que o uso da Inteligência Artificial trará para a educação

Executivo da Evolucional elenca pontos importantes sobre a modernização do ensino por meio da tecnologia

SALA DA NOTÍCIA Da Redação
Reprodução/Internet

O uso e aplicação da tecnologia na era do pós-digital já se faz presente em quase todos os processos dos setores da economia e no dia a dia da população. No entanto, mesmo após mudanças e necessidades impostas pela pandemia, o setor da educação ainda caminha em passos lentos na adoção de recursos que podem transformar e aperfeiçoar o ensino no País.  

Uma das ferramentas promissoras é a Inteligência Artificial (IA) que, aplicada à educação, pode ser capaz de identificar, com precisão, lacunas de aprendizagem e personalizar a entrega de conteúdos para cada aluno.  Para se ter uma ideia, a soma de investimentos globais em IA atingiu a casa dos U$ 93, 5 bilhões em 2021, mais do que o dobro do total aplicado no ano anterior, de acordo com o estudo da Universidade Stanford, nos Estados Unidos. 

No Brasil, empresas como a Evolucional, startup que utiliza a Inteligência Artificial para personalizar o estudo dos alunos, trabalham para que as instituições adotem a tecnologia como a saída para uma educação de qualidade. “É mais que urgente identificar, personalizar e utilizar a inovação para aprimorar experiências de aprendizagem. Por meio da IA é possível entregar conteúdos e traçar rotas de estudo individuais para cada perfil e dificuldade do aluno. É importante que entendamos as possibilidades que o uso da tecnologia abre na educação e não tratarmos as soluções tecnológicas apenas como produtos, mas também como algo que, de fato, vá impactar a qualidade e mudar na forma de aprender e ensinar”, destaca Vinícius Freaza, sócio-diretor da Evolucional. 

O executivo elencou os 5 ganhos que a aplicação da Inteligência Artificial pode trazer para a educação. Veja abaixo:

Mudança metodológica 
Não é de hoje que se discute a necessidade do uso de novas metodologias para melhorar a qualidade do ensino no Brasil. Diversos são os índices que mostram como o país está longe de alcançar posições relevantes. A adoção de novas tecnologias, dentre elas a IA, é apenas o início de um futuro melhor na área. 

Adaptação às necessidades do aluno
Com a Inteligência Artificial é possível identificar, através de simulados e avaliações, as principais lacunas de pré-requisitos que os alunos carregam, e direcionar de maneira individual, atividades específicas para saná-las.

Valorização das aptidões naturais
Além de apontar lacunas, a IA também pode apontar áreas de maior potencial de desenvolvimento e aprendizagem, permitindo assim aos alunos estudarem não apenas o que mais erram ou tem dificuldades, mas também o que mais gostam e aquilo que tem inclinação natural. Assim, é possível garantir a oferta de conteúdos que o estudante gosta de estudar e se destaca. 

Ensino híbrido
O uso de plataformas com conteúdos digitais no cotidiano dos alunos e das escolas, em intersecção com as aulas presenciais, permitirão aos professores serem menos expositores de conteúdos e mais mediadores da aprendizagem. Os alunos poderão estudar conteúdos nas plataformas e discutir com professores e colegas o que aprenderam, aprofundando e construindo novos conhecimentos de forma ativa.

Ressignificação da avaliação
Para que a IA cumpra o seu papel, é necessário a inversão da lógica da aplicação da avaliação nas escolas. Ao invés de ser utilizada para verificar o que os alunos aprenderam depois de algumas aulas, a avaliação deve ser aplicada no início do processo, para que a partir do seu resultado seja possível personalizar trilhas, conteúdos e experiências de aprendizagem que serão oferecidas via plataformas.



 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »