04/06/2022 às 16h59min - Atualizada em 06/06/2022 às 00h00min

São Paulo vai conceder parque Guarapiranga à iniciativa privada

O município de São Paulo lançou duas propostas para requalificar a orla da represa de Guarapiranga, na zona sul da cidade. O objetivo é incentivar o turismo ecológico e náutico na região.

SALA DA NOTÍCIA Agência Brasil
https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-06/sao-paulo-vai-conceder-parque-guarapiranga-iniciativa-privada

 




São Paulo - 11ª edição do Abraço simbólico da represa Guarapiranga com o tema Água limpa e saneamento é saúde. Exija, pratique! marca o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado hoje, 5 de junho (Rovena Rosa/Agência Brasil)

São Paulo - 11ª edição do Abraço simbólico da represa Guarapiranga com o tema Água limpa e saneamento é saúde. Exija, pratique! marca o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado hoje, 5 de junho (Rovena Rosa/Agência Brasil)






São Paulo - 11ª edição do Abraço simbólico da represa Guarapiranga com o tema Água limpa e saneamento é saúde. Exija, pratique! marca o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado hoje, 5 de junho (Rovena Rosa/Agência Brasil) - Rovena Rosa/Agência Brasil



O município de São Paulo lançou duas propostas para requalificar a orla da represa de Guarapiranga, na zona sul da cidade. O objetivo é incentivar o turismo ecológico e náutico na região.



Uma das propostas prevê a concessão, à iniciativa privada, de sete parques na orla de Guarapiranga: Guarapiranga, Barragem da Guarapiranga, Praia do Sol, Linear Castelo, Linear Nove 

de Julho, Linear São José e o novo parque Praia São Paulo.



O prazo de exploração é de 25 anos. Investimentos para recuperação do patrimônio ambiental dos parques, caminhos, edificações, mobiliário e sinalização 
terão que ser realizados nos primeiros 48 meses. A concessionária também 
terá que construir píeres náuticos para facilitar acesso aos parques por quem vem pela represa.



Segundo a prefeitura, o futuro responsável deverá fazer investimentos cerca de R$ 21 milhões, além dos R$ 468 milhões projetados para o custeio nos 25 anos de operação. 
O município ficará com 1% a 6% das receitas, dependendo do faturamento.



Iate Clube



A outra proposta prevê 

uma Parceria Público-Privada (PPP) para gestão do Santa Paula Iate Clube. A empresa que gerir o clube 
terá que reformar e reativar o complexo náutico que, 
segundo a prefeitura, 
está abandonado desde a década de 80.



PPP 
terá um prazo de 30 anos e envolverá a realização de investimentos 
de R$ 129 milhões, além de custos operacionais de cerca de R$ 393 milhões 
previstos pelo prazo da parceria. 
A prefeitura 
terá uma contrapartida de 
R$ 9,5 milhões ao ano e 
fará um aporte de 
R$ 60 milhões relativo à execução das obras. O compartilhamento de receitas pode ser entre 1% e 9,5%.




Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »