08/06/2022 às 17h16min - Atualizada em 09/06/2022 às 00h00min

Dilatador nasal melhora desempenho no surf, afirma atleta

Dispositivo que foi febre nas Olímpiadas de 96, reaparece com novo layout, mais discreto, confortável e eficaz. Esportistas de diversas modalidades relatam que o aumento na capacidade de respiração melhora o rendimento em treinos e competições.

SALA DA NOTÍCIA Rotas Comunicação
Divulgação/Grupo Stra
Junho, 2022 - Dilatadores nasais já são febre entre atletas de alto rendimento há muito tempo. Os primeiros a aparecerem utilizando o dispositivo foram os americanos na década de 90, principalmente nas Olímpiadas de Atlanta, em 1996. No ano seguinte, o maratonista espanhol Marin Fiz, na época atual campeão mundial, junto com especialistas da área, atribuiu parte da conquista ao uso do dilatador nasal. Com o passar dos anos, os dispositivos passaram por mudança e atualmente são mais discretos e confortáveis, como é o caso do Flux Air, que segundo o fabricante aumenta a quantidade de ar que chega até os pulmões, diminuindo o cansaço na prática esportiva.

“A válvula nasal é a passagem mais estreita do nariz e responsável por cerca de 50% da resistência a passagem de ar. Pequenas alterações, como o uso do dilatador nasal, contribuem significativamente para melhor o fluxo de ar. Uma respiração mais eficiente durante a atividade física reduz a frequência cardíaca, aumenta a capacidade cardiorrespiratória e contribui para melhorar o desempenho. Isso ocorre porque a respiração nasal faz com que o ar chegue aos pulmões filtrado, umidificado e com sua temperatura ajustada, pronto para ser convertido em energia”, explica o idealizador do Flux Air e CEO do Grupo Stra, Leonardo Straliotto.

Um dos atletas quem tem percebido a melhora do desempenho na prática é o surfista catarinense, Rodrigo Cutelo. Aos 40 anos, especialista em ondas tubulares e grandes, ele já percorreu o mundo em busca das melhores ondulações e hoje se recupera de duas grandes cirurgias na coluna. “O Flux Air tem auxiliado muito nesta fase de recuperação, tanto nos treinos físicos como de água. Com o uso do dilatador eu consigo captar muito mais ar em menor tempo e isso é essencial, principalmente nos treinos de apneia que são para você suportar as “vacas”, que é quando o surfista cai da onda e acaba ficando submerso nas águas”, comenta Cutelo.

Quem também está aproveitando os benefícios do Flux Air para melhorar o desempenho esportivo é o ciclista e trekking mineiro, Diego Sanches, que ostenta no currículo longas viagens e expedições como Monte Roraima, Patagônia, pico da Bandeira, entre outros desafios. “Quando uso o Flux Air eu respiro melhor, o ar entra com maior facilidade e isso oxigena muito mais rápido o corpo, resultando em um melhor desempenho e a sensação de cansaço demora mais para chegar”, detalha Sanches.

Sobre o Flux Air
O Flux Air é um produto 100% fabricado no Brasil. Foi criado em 2018, após três anos de pesquisa e desenvolvimento, inúmeros protótipos e estudos clínicos pelo médico otorrinolaringologista Dr. João Straliotto. Ao lado do filho, o empresário Leonardo Straliotto, chegaram ao design inovador e eficiente de dilatador nasal interno que abre e sustenta o nariz, incentivando a respiração nasal e diminuindo a respiração pela boca, sem ação ou efeitos colaterais de medicamentos. Em 2019, foi o vencedor da 4ª temporada da versão brasileira do reality show norte-americano Shark Tank, exibido pelo Sony Channel. Tem como missão melhorar a respiração dos brasileiros e auxiliar em casos de obstrução nasal, além de consequentemente auxiliar na qualidade de sono e disposição dos usuários.
Mais informações: https://fluxair.com.br/
Link
Notícias Relacionadas »