09/06/2022 às 19h21min - Atualizada em 10/06/2022 às 00h00min

4 motivos para substituir o buquê por Rosa-do-Deserto

Entenda o porquê a Rosa-do-Deserto é uma excelente opção para presentear a pessoa amada

SALA DA NOTÍCIA Érica Brito Silva
Rosa-do-Deserto / Divulgação
O amor está no ar. Comemorado anualmente no dia 12 de junho no Brasil, o Dia dos Namorados é uma data em que os casais aproveitam para demonstrar o seu afeto.  E entre as opções mais populares, as flores, em especial as rosas, costumam estar no topo da lista, não só nesta data, mas para presentear, felicitar, homenagear e parabenizar em diversas ocasiões.

Decorados e envolto de belos arranjos, os buquês realmente causam emoção, tanto pela sua beleza, quanto pela intenção. O único fator negativo, no entanto, é que o presente acaba tendo um prazo de validade curto, já que em poucos dias a flor de corte vai deixando de viver. Por isso que substituir o buquê por flores em vaso tem sido algo cada vez mais comum. Os dados da Ibraflor refletem isso, em 2021 a venda de flores de corte representou 15% enquanto de flores em vaso representou 58%. 

As opções de espécies para presentear são diversas, estando entre as mais populares as orquídeas (Phalaenopsis), Antúrio, Azaléia, Kalanchoe, Violeta e Crisântemos. Mas Marcos Feliciano, engenheiro agrônomo da Forth Jardim, chama atenção para uma que vem atraindo cada dia mais admiradores, a “Rosa-do-Deserto”, uma espécie nativa da África. Conheça um pouco mais dessa espécie e saiba o porquê ela pode ser uma ótima opção nesta data especial:  

Versatilidade
Apesar do nome, a Rosa-do-Deserto não é uma espécie de rosa comum, na verdade trata-se de uma planta herbácea suculenta. A vantagem é ter uma flor, que é tão bonita quanto as rosas, mas sem espinhos e com uma estrutura bem diferente, sendo meio “escultural”, com um caule bem mais grosso e raízes aparentes. Outra curiosidade é a capacidade que ela tem de ser “modelada”, podendo ser cultivada também em formato de “Bonsai”, virando uma mini árvore florida.

Durabilidade
E por falar em Bonsai, a técnica japonesa de cultivar réplicas de “mini árvores”, traz entre suas características a vida longa. A Rosa-do-Deserto também tem esse diferencial, pois além de sua grande resistência à seca, a espécie vive por décadas, com indícios que pode inclusive chegar até mesmo aos 100 anos.  

Floração
Apesar de suas flores aparecerem geralmente na primavera, ao contrário de outras espécies, a Rosa-do-Deserto pode ter sucessivas florações em outras estações como verão e outono. As opções também são variadas. Ela pode se apresentar de forma mais simples com cinco pétalas ou mais robusta com duas ou mais camadas de pétalas. Já as cores vão dos tons mais claros aos mais vivos, podendo ser mescladas ou até com um certo efeito “degradê”. 

Superstição     
Existem algumas lendas relacionadas à Rosa-do-Deserto e uma delas se refere à beleza de suas flores e a forma como ela consegue se desenvolver mesmo no deserto.  De acordo com a crença, a flor do deserto seria um sinal divino para aqueles que se encontram perdidos, passando a mensagem de que: “mesmo nos piores momentos, os pequenos detalhes dão forças para continuar a seguir em frente”.
Há também uma história ligada à sua origem, que fala de um Sheik que tinha 12 esposas e expressava seu amor por elas por meio do seu dinheiro, sempre presenteando-as. Porém um dia, ele acabou perdendo toda sua riqueza e saiu rumo ao deserto, onde encontrou uma flor com uma beleza e um aroma que nunca tinha visto. Após 15 dias longe de casa, retornou com essa flor para presentear as esposas, dizendo que havia vagado pelo deserto até encontrar um presente que não poderia ser comprado por dinheiro nenhum. E por esse motivo, a Rosa- do-Deserto seria o verdadeiro símbolo do amor. 

Atenção para os cuidados
Originária da África do Sul e na Península Arábica e pertencente ao Gênero Adenium, a rosa- do-deserto costuma se dar bem em lugares quentes e com boa luminosidade. Algumas podem medir até quatro metros de altura e um metro e meio de largura, medidas que são possíveis de serem atingidas quando elas são cultivadas em seu ambiente natural, ela se adapta muito bem em vasos, podendo facilmente viver dentro de casa, desde que seja cuidada da forma adequada, conforme orienta o especialista da Forth Jardim: 
Ambiente ideal
Escolha um ambiente onde ela receba luz solar por pelo menos 6 horas diárias. Não é recomendado que esteja em espaços que possuem temperaturas inferiores a 14 °C. Se morar em locais com possibilidade de geadas ou neve as proteja em dias muito frios.
Irrigação
Precisa de bastante água para se desenvolver bem, mas é preciso ter cuidado para não encharcar o solo, pois se isso acontecer o efeito será reverso podendo apodrecer as raízes. É necessário manter a terra sempre levemente úmida. 
Tipo de substrato
Ao escolher um vaso, certifique-se de que ele faça uma boa drenagem, dessa forma evitará que haja acúmulo de água e manterá a umidade correta. Usar o substrato FORTH Rosa do Deserto também pode ajudar neste caso, pois proporciona a aeração ideal para este tipo de planta.
Adubação
A reposição de nutrientes é outro fator primordial para o desenvolvimento da rosa-do-deserto e que deve ser feito com frequência. Por precisar de um substrato mais arenoso, conforme ela vai sendo irrigada, a lixiviação (extração) dos nutrientes é mais fácil de ocorrer.  O adubo FORTH Rosa do Deserto pode ajudar neste caso, favorecendo na manutenção das folhas e produção das flores. 
Formas de propagação
Existem duas formas de propagar a rosa-do-deserto: por semente ou estacas (plantio de uma parte da planta). Se optar em fazer por meio de sementes, o recomendado é que as deixe de molho na água, que não pode ser clorada, para que elas se hidratem. Esse processo deve ocorrer por duas horas e depois disso é só plantar em um recipiente de plástico de 200ml. A germinação deve ocorrer entre 2 e 3 dias e depois de 15 dias dela ter germinado, você pode regar com uma solução feita com FORTH Enraizador.
Cuidados no inverno
Nessa época o metabolismo da planta fica mais lento e por isso ela pode ficar dormente. Uma recomendação para mantê-la saudável durante a estação, é deixá-la dentro de casa nos períodos do dia que estiverem mais frios. Dessa forma ela está em um ambiente mais quente e consegue manter o seu desenvolvimento sem ter tanta alteração. 
Problemas mais comuns 
A queda das folhas é comum, afinal, elas estão trocando as folhas e flores. Mas se isso acontecer com frequência, é preciso analisar se sua planta não está necessitando de nutrientes, ou se alguma praga ou doença está atacando. É comum ter ataque de ácaros ou de fungos o que é fácil de resolver utilizando acaricidas ou fungicidas. 

Sobre a Forth Jardim
A Forth Jardim é uma empresa especializada no cuidado com as plantas, focada principalmente no segmento de Home & Garden e oferece soluções para finalidades específicas. Atuando há 23 anos, a marca é hoje uma das líderes de mercado e contribui de forma ativa para o crescimento do setor. A empresa conta com uma fábrica própria localizada na cidade de Cerquilho (SP), possui mais de 90 colaboradores e está presente em mais de 4.000 pontos de vendas em todo o Brasil. Em 2020, impulsionada principalmente pelo aumento do número de pessoas que passaram a se interessar em cultivar plantas em casa, a empresa aumentou o faturamento em 50% e mantém crescimento médio de 20% ao ano.
@forthjardim_oficial
https://forthjardim.com.br

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »