29/06/2022 às 18h02min - Atualizada em 30/06/2022 às 00h00min

Mais liderança feminina é essencial para a criação de um estado moderno, diz Luana Tavares, ex-CLP e mestre por Oxford

Mestre em políticas públicas por Oxford, Luana Tavares fundou uma aceleradora de mulheres na política e atua pela inclusão digital, desburocratização estatal e mais oportunidades para os jovens

SALA DA NOTÍCIA Divulgação
Não há como estar na vanguarda mundial, em pleno século 21, sem um Estado eficiente e moderno e com mais lideranças femininas, sobretudo na política, defende a ex-diretora-executiva do Centro de Liderança Pública (CLP) e mestre pela Universidade de Oxford, Luana Tavares.

Há mais de 15 anos se dedicando ao setor de impacto social no Brasil e atuando em várias organizações sem fins lucrativos com foco no fortalecimento da democracia e modernização do estado, Luana dirigiu por oito anos o CLP. Sob a sua batuta, o órgão formou mais de 10 mil líderes públicos em todo o Brasil, num trabalho de engajamento da sociedade na defesa de uma agenda estrutural de impacto nacional junto ao Congresso.

“Nós precisamos acompanhar a evolução digital e proporcionar ao nosso povo um ambiente seguro, menos burocrático e prático, dessa forma, melhorando os serviços aos brasileiros e trazendo inclusão”, afirma. “Ao longo da minha vida, percebi que a minha razão é transformar a realidade de outras pessoas, ajudando também na formação de lideranças”, acrescentou.
 
Para ela, essa transformação só é possível com mais oportunidades para os jovens e maior representatividade feminina na política. Por isso, no início deste ano, deu início à Conecta, aceleradora de mulheres na política. “Desde o início das atividades da Conecta, em janeiro deste ano, recebemos mais de 500 inscrições femininas de todo o país”, disse. “Não é falta de interesse, mas de oportunidades concretas de viabilizar candidaturas femininas competitivas na política nacional", disse Luana, que ajudou a formar 330 mulheres, de 24 estados e do Distrito Federal, de 30 partidos diferentes.

A ação voltada para a integração feminina na política é uma das principais bandeiras de Luana, que anunciou, no último dia 27, sua pré-candidatura à deputada federal pelo PSD em São Paulo.

A experiência no mercado privado e em instituições de formação de lideranças também reforçam em Luana a crença de que somente com a presença de mais mulheres engajadas e atuantes na política será possível trazer uma mudança real e necessária ao sistema que hoje fortalece uma conjuntura desigual e insuficiente para boa parte da população. “É preciso garantir mais representatividade feminina e mais mulheres no mercado. Com isso, podemos conquistar um país mais inclusivo e menos desigual”, disse.

Executivo do iFood e autor do livro “Nova Economia”, Diego Barreto afirma que é imensa a carência brasileira de nomes com capacidade de diálogo, com pragmatismo e sem radicalismos.  Já Fábio Barbosa, presidente do Grupo Natura, destaca  a capacidade de solucionar os problemas mais urgentes do Brasil como essenciais. “A Luana conhece como funciona os meandros do Congresso e e ela vai para Brasília resolver problemas do nosso país”, diz Barbosa.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »