31/07/2019 às 18h10min - Atualizada em 01/08/2019 às 00h00min

Franquias: cinco erros básicos que devem ser evitados

Para quem quer iniciar uma franquia, é essencial ter intimidade com esse ramo de atuação

DINO


As franquias são consideradas um investimento mais seguro por parte dos empreendedores, especialmente os menos experientes. Elas normalmente já enfrentaram o período de maturação, em que ocorrem testes com consumidores e adequação da oferta à demanda, a chance de insucesso diminui consideravelmente.
Porém, isso não significa que as franquias sejam investimentos livres de risco, pelo contrário. Há muitas que, mesmo com marca de sucesso, acabam não sobrevivendo. É importante conhecer cinco erros fatais de quem empreende com franquias e saber como evitá-los.

1. Pouca familiaridade com o segmento
Para quem quer iniciar uma franquia, é essencial ter intimidade com esse ramo de atuação, pois a maior parte dos erros ocorre quando o empreendedor desconhece esse segmento.
Conhecer o ramo de atividade e os direitos e deveres de cada parte evita, por exemplo, que o franqueado seja surpreendido com a presença de outra franquia da mesma marca próxima ao seu estabelecimento, como ocorre quando a franqueadora não delimita os territórios de cada um.
Também é importante que o perfil da franquia pretendida seja analisado, até para que o empreendedor analise se possui aptidão para a operação.

2. Má gestão financeira
Como em todo negócio, uma boa gestão financeira é obrigatória para as franquias. Problemas nesse sentido estão entre os motivos que mais contribuem para a falência de uma franquia.
É comum que os franqueados de primeira viagem não saibam gerenciar o seu capital de giro. Muitos investem tudo em obras, por exemplo, e acabam tendo problemas com o fluxo de caixa.
Assim, antes de investir em uma franquia, é preciso avaliar a capacidade financeira do franqueador, de fornecedores e do próprio franqueado, pois todos precisam ter uma reserva de capital para que o negócio se mantenha. É recomendável ter uma reserva equivalente a alguns meses de operação, já que o negócio leva tempo para dar lucro.

3. Dificuldade de relacionamento
No ramo das franquias, é necessário ter um bom relacionamento com o franqueador, outros franqueados, clientes e fornecedores. Mal-entendidos entre o que foi ajustado antes e o que é cumprido quando o negócio está em funcionamento podem fazer o negócio ruir.
Por isso, uma boa ideia é conversar com outros franqueados sobre o perfil do franqueador, a organização da empresa e se ela costuma dar atenção às ideias dos franqueados.

4. Acreditar que a marca famosa basta para o sucesso
Outro erro comum é acreditar que ter a franquia de uma marca de sucesso, por si só, é garantia de lucro.
Porém, administrar uma franquia significa trabalhar duro, normalmente mais do que os empregados do negócio e com responsabilidades. Apesar de iniciar o seu negócio com um modelo já bem-sucedido, o franqueado tem que seguir à risca as diretrizes do franqueador, o que exige dedicação.
Então, é preciso entender do negócio e saber fazê-lo funcionar, pois o sucesso da franquia depende muito do suor do franqueado.

5. Ponto comercial ruim
Finalmente, é preciso escolher bem o ponto comercial para que ele não se torne um problema. Instalar o empreendimento em local inadequado é uma das razões que mais levam uma franquia ao fracasso.
É necessário saber se o ponto é frequentado pelos consumidores da marca, avaliar a concorrência local e até a necessidade de reformar o imóvel para adaptá-lo à operação. Depois, isso ainda é submetido à aprovação da franqueadora.

Assim, antes de definir o local onde o empreendimento irá funcionar, é preciso conhecer o conceito do negócio e o seu público-alvo. Visitar o local, conhecer o perfil dos consumidores que o frequentam, analisar horários de maior fluxo de público, não deixar passar nenhum detalhe. Disso depende o desempenho de seu futuro negócio.

*Bruno Augusto é gerente de expansão da Piticas.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »