01/08/2019 às 19h04min - Atualizada em 01/08/2019 às 19h12min

Manufatura híbrida e a tecnologia na indústria 4.0

Transformar a indústria hoje significa que, devido os desafios trazidos pela 4a revolução industrial, as empresas têm espaço para fazer um uso mais eficiente dos seus recursos

DINO
Leonel Nogueira


Segundo levantamento da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a estimativa anual de redução de custos industriais no Brasil, a partir da migração da indústria para o conceito 4.0, será de, no mínimo, R$ 73 bilhões/ano.

Essa economia envolve ganhos de eficiência, redução nos custos de manutenção de máquinas e consumo de energia. Para não ficar para trás, o país precisa formar profissionais qualificados, para planejar, executar e gerenciar as inovações tecnológicas que a indústria 4.0 demanda.

Além do conhecimento técnico, é necessário estimular a criatividade, a proatividade e o gosto pela inovação. Por meio da tecnologia é possível fazer a fusão dos mundos físico, digital e biológico, com a Manufatura Aditiva (Impressão 3D), a IA, IoT, a Biologia Sintética e os Sistemas Cyber Físicos (CPS) - que são a fusão entre o mundo físico e o digital: no qual elementos de computação conectam-se à toda a inteligência distribuída no ambiente físico e virtual para obter um conhecimento profundo sobre meio e o usuário, para personalizar e controlar com precisão o ambiente de interação dos usuários.

Transformar a indústria hoje significa que a despeito dos desafios trazidos pela 4a revolução industrial, as empresas têm espaço para fazer um uso mais eficiente dos seus recursos (humanos, financeiros e tecnológicos) para que seus produtos e serviços sejam mais competitivos no país e no mundo.

Isso se traduz na implementação de formas mais eficientes de gestão com metodologias ágeis e enxutas, além de orientar processos e decisões a partir da análise em tempo real dos dados de produção.

Além destas tecnologias, outros dispositivos terão um papel importante na indústria 4.0. Como a tecnologia RFID, que vem ganhando espaço com os sistemas de rastreabilidade industrial, e os módulos IO-Link - um poderoso padrão criado pela indústria da automação, que funciona através de um protocolo de comunicação serial ponto a ponto que vem sendo, cada vez mais, utilizado para promover a comunicação entre sensores e/ou atuadores no chão de fábrica.

Esses módulos possuem endereço IP próprio, com conexões diretas de alto e baixo nível. Portanto, descentralizam e organizam a rede de sensores e demais componentes.
Com fábricas cada vez mais automatizadas e máquinas inteligentes, a preocupação passa a ser uma maior robustez nos sistemas de informação, segurança e comunicação, fazendo da tecnologia a sua grande aliada.

*Leonel Nogueira é CEO da Global TI

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual sua Rede Social Favorita?

47.1%
27.3%
16.5%
8.3%
0.8%