11/04/2019 às 10h31min - Atualizada em 11/04/2019 às 10h42min

Ataques ransomware e a evolução dos ciberataques

Nos últimos anos, os cibercriminosos descobriram formas de lucrar com a invasão de sistemas e máquinas alheias, o que gerou um grande aumento no número de ataques ransomware. Diante desse cenário, a melhor forma de garantir a segurança das informações é conhecer a fundo a maneira como esses ataques são realizados e as ferramentas utilizadas nessa empreitada.

DINO - http://www.addee.com.br
http://www.dino.com.br/releases/ataques-ransomware-e-a-evolucao-dos-ciberataques-dino890201543131
Cibercriminoso


Ransomware é um tipo de malware que não tem como objetivo destruir informações, mas sequestrar dados da máquina infectada. Ao se instalar no equipamento, o ransomware utiliza de criptografia para evitar que a pessoa possa ter acesso às informações, impossibilitando o uso da máquina. Em alguns casos o criminoso dá um prazo para a vítima pagar o resgate. Caso contrário, todas as suas informações serão destruídas. 

Segundo Vinicius Durbano, CEO da Eco IT e Especialista em Segurança e Proteção de Dados, esse modelo de ataque se popularizou nos últimos anos por se mostrar uma ótima fonte de renda aos cibercriminosos e pela impunidade, já que o resgate é pedido em Bitcoins — moeda virtual praticamente irrastreável. 

Na maioria das vezes, o modelo de ataque ransomware não é direcionado a uma vítima em questão: os cibercriminosos seguem uma tática de distribuição massiva, utilizando-se de vulnerabilidades para isso. 

“Deixar o portão de casa sem cadeado não significa que alguém vai entrar e roubar. No entanto, essa é uma vulnerabilidade, e as chances de ser roubado aumentam”, completa Durbano. 

Como são ataques massivos, os cibercriminosos estão sempre explorando brechas. Quando eles as encontram, alcançam o sucesso na instalação do ransomware e no sequestro dos dados. 

Quais são as famílias de infecções em ataques ransomware 

Conforme o número de oportunidades de ataque cresce, com a adoção de tecnologia por mais e mais empresas, os modelos de aplicação do golpe também se diversificaram, sendo que hoje existem várias “famílias”. 

A diferenciação é realizada principalmente pelo modus operandi da invasão e pela extensão utilizada pelos arquivos. Geralmente utiliza-se uma mesma base, ou seja, um malware já existente, para a criação de um novo. 

Entre as principais estão Dharma, CerberCryptolocker, e o Wanna Cryum dos mais famosos ransomwares, distribuído por e-mail e ataques de phishing com um documento de PDF malicioso. Utilizou-se por muito tempo de uma pequena falha de segurança que já foi corrigida, mas ainda é capaz de causar estragos em máquinas desatualizadas. 

Que impactos financeiros os ataques ransomware geram às empresas 

Os ataques de ransomware são um grande problema para as empresas, pois têm um potencial para prejudicar fortemente os resultados de uma organização — seja por fazer com que perca informações importantes, seja por manchar a imagem no mercado. 

Na maioria das vezes, as corporações escondem que foram vítimas desse tipo de ataque de sócios e acionistas, pois isso acaba desvalorizando a empresa. 

Outro ponto é que, por não contar com estratégias de recuperação, a empresa acaba se tornando refém dos cibercriminosos, tendo que colaborar e pagar o resgate para não perder seus dados. 

Como ocorre esse tipo de cybercrime 

Ainda segundo Vinicius Durbano, existem basicamente três formas pelas quais os ataques de ransomware são aplicados. 

Phising, essa técnica, que faz alusão ao termo pescar, em inglês, consiste em enviar e-mails falsos ou criar sites idênticos aos originais, fazendo com que o usuário instale o ransomware na máquina. 

Engenharia social, esse modelo é fortemente utilizado, uma vez que a maioria das empresas não informa os funcionários sobre esses riscos. Nele, o criminoso entra em contato diretamente com o colaborador, e por meio de técnicas de conversa, o convence a instalar o vírus. 

Vulnerabilidade, os dois pontos acima também podem ser considerados vulnerabilidades, mas o conceito ainda vai além: está ligado à falta de tecnologias e processos que evitem o ataque direto a falhas de segurança, como sistemas desatualizados. 

Como se prevenir de ataques ransomware 

Ao mesmo tempo em que novas formas de ataque estão surgindo, também existem muitas iniciativas de proteção, e é possível criar um ambiente seguro.  

Através de treinamentos e criação de políticas de segurança entre os colaboradores, investimento em antivírus gerenciados e o monitoramento remoto dos sistemas podem detectar e evitar ataques com eficiência e investir em backup de qualidade pode salvar uma empresa durante uma crise como essa. 

Ataques ransomware serão cada vez mais comuns no futuro, uma vez que essa modalidade é um negócio lucrativo e seguro para os cibercriminosos, que se escondem atrás dos computadores em locais distantes. Por conta disso, é preciso investir ainda mais em tecnologia de proteção. 



Website: http://www.addee.com.br
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual sua Rede Social Favorita?

47.5%
28.0%
16.1%
7.6%
0.8%