22/04/2019 às 10h53min - Atualizada em 22/04/2019 às 11h12min

Fundo de participações realiza aquisições e já planeja nova rodada de investimentos para o Brasil e EUA de mais de 1 bilhão de reais

O US Capital Management pretende, após sua primeira rodada de participações no Brasil, capitanear o investimento de mais de 1 bilhão de reais no Brasil iniciando seu segundo ciclo de participações ainda em 2019.

DINO - http://www.capitalvital.com/
Reunião de conselho


Continuando de olho na retomada da economia brasileira e no aquecido do mercado norte-americano, empresários do Brasil e dos Estados Unidos que se uniram para a criação de um fundo de participações internacional, que teve como foco as empresas de pequeno e médio porte do País com potencial para expansão, se preparam para uma segunda rodada de negócios no país. O US Capital Management, com sede em Orlando, na Flórida, e operações em Boston, em Massachusetts,  e sua recém-inaugurada operação em Frankfurt, na Alemanha, pretende, após sua primeira rodada de participações no Brasil, capitanear o investimento de mais de  1 bilhão de reais no Brasil, Estados Unidos e Europa, iniciando seu segundo ciclo de participações ainda em 2019.

O US Capital começou a ser estruturado em 2017 com apoio da Capital Vital e está reforçando sua atuação, conjuntamente com outros fundos como o Boston Investments Group e o Europe Capital Investors, visando aproveitar a esperada retomada da economia brasileira. O Fundo que traçou metas arrojadas para os seus primeiros 18 meses, completou sua primeira jornada e já tem planos para a sua segunda fase. Neste período, avaliou propostas para aquisição de mais de 4 mil empresas, até selecionar as com maior potencial real. Em abril de 2018 iniciou as assinaturas das participações com contrato de aquisição de participação no capital de 40 empresas. Após a fase de due diligence iniciou-se um período de pré-operações até serem selecionadas as que realmente possuem potencial de escalar internacionalmente. “Pretendemos iniciar a segunda fase de participações ainda no final do primeiro semestre de 2019”, revela o estrategista-chefe do US Capital e empreendedor serial, Luciano Vital, responsável por toda a estratégia de aquisições globais.

Segundo Vital, a previsão do Fundo de Participações continua sendo gerar mais de 5 mil empregos diretos até o final de 2019 e a expectativa é que estas empresas inicialmente, juntas, gerem um faturamento R$ 500 milhões até o final do próximo ano. Para atingir essas metas, de acordo com ele, as companhias foram selecionadas, testadas, reestruturadas, receberam suporte, redesenho de seus modelos de negócio para se expandirem dentro de um ecossistema de negócios no Brasil e no exterior por meio de abertura de unidades próprias, franquias e novas aquisições para consolidação de seus mercados.

Uma das maiores dificuldade encontradas por investidores internacionais para colocar dinheiro nas empresas brasileiras é a questão da segurança jurídica, não somente pelas mazelas do sistema legal do País, mas principalmente pela mentalidade de muitos empresários brasileiros. “Muitos empresários ainda estão com a mentalidade no passado e não respeitam os contratos e acordos formalizados. A todo momento tentam dar “jeitinhos” para não cumprir corretamente o que foi formalizado e, ainda mais grave, é que muitos empresários insistem na sonegação de impostos no Brasil. Problemas contábeis, sonegação de impostos e o não cumprimento de contratos são fatores que reduzem o apetite de investidores em colocar dinheiro em empresas e, muitas vezes, inviabilizam avançar nos negócios junto com estes empresários”, comenta Vital.

A estratégia do US Capital, juntamente com um pool de fundos internacionais, é além de adquirir participação em empresas com foco em ganho de escala e crescimento acelerado como na primeira fase, é abrir para outros segmentos como alimentos, agronegócios, imóveis, energia, meio-ambiente, água, gestão de resíduos, tecnologia e educação. “Normalmente, elaboramos um projeto de crescimento e de reposicionamento e ficamos com 10% a 100% de participação, dependendo da estruturação necessária. Trabalhamos na internacionalização das empresas nos Estados Unidos, Ásia e Europa, e colocamos para cada empresa um conselho composto de executivos formados em Harvard, MIT, Cornell University, IMD, e com conexão com grandes marcas como Disney, NASA, Walmart, Goodyear, Electrolux, International Paper e grandes bancos nacionais e internacionais, para que o conselho dê suporte à estratégia de crescimento e expansão”.

Para acelerar todo este trabalho nesta segunda fase, criamos a “Academia de Conselheiros”, um programa de 3 meses onde qualificamos profissionais do mercado para atuarem como conselheiros consultivos em startups, pequenas e médias empresas que investimos. “Temos hoje mais de 100 vagas abertas para conselheiros consultivos nas empresas que temos participações no Brasil e Estados Unidos”, enfatiza Vital. “Estamos já com duas turmas em fase de preparação e em maio abriremos a terceira turma no Brasil. O programa da Academia de Conselheiros também ocorrerá simultaneamente no Estados Unidos, Europa e Ásia.”

Além da preparação de conselheiros, para a segunda fase, foi reestruturada a equipe de trabalho com profissionais experientes e especializados, tendo à frente da área de aquisições Luciano Vital, que atua como estrategista-chefe global. Ana Alves continua como a Country Manager USA e responsável legal global, Tiago Sant´Ana o General Manager Global, a Carla Gall como Head de Marketing, o Dr. Flávio Inacarato como Head jurídico e de Compliance, e Larissa Moreira assume como Head de expansão para Europa, recém-chegada do NU Bank.

Vital lembra que o Brasil corresponde a apenas 2% do mercado mundial, sendo que os outros 98% do mercado está fora. “Entendemos que um passo primordial para se ter escala e crescer de verdade é internacionalizar os negócios e, assim, acessar o mercado mundial que hoje é pujante e abundante”.

ACADEMIA DE CONSLHEIROS

A primeira turma com 15 candidatos a conselheiros já está sendo qualificada. Serão 3 meses de trabalhos presenciais e online. O programa foi projetado com base no aprendizado de mais de 10 anos de intensos estudos na Harvard e no MIT e três décadas de experiência prática e vivencial no suporte de empresas, empresários e líderes ao redor do mundo que precisam de suporte para tomadas de decisões melhores e mais efetivas.

“Há uma lacuna de mercado no Brasil, na Europa e nos Estados Unidos de conselheiros consultivos treinados e preparados para a função. Ajudar efetivamente as startups, pequenas e medias empresas a crescerem e se desenvolverem não é tarefa para se fazer sem o devido preparo. Vejo muita gente mais atrapalhando do que ajudando efetivamente as empresas menores a crescerem de fato”, comenta Vital, que vê uma crescente demanda desses profissionais no mercado. “Só em nossas empresas temos hoje espaço para mais de uma centena de conselheiros, que além de preparo para lidar com as empresas de menor porte tenham também em seus valores a transparência,  foco na legalidade, no trabalho em equipe, e na meritocracia para ganhos de escala. Devido à nossa necessidade interna e do mercado nosso conselho decidiu criar este programa internacional para preparar conselheiros consultivos com foco em startups, pequenas e médias empresas para nosso grupo e para o mercado em geral.”

Antes mesmo do lançamento oficial da Academia de Conselheiros, que ocorreu durante o Brazil Conference at Harvard & MIT no início de abril, no campus da Harvard e do MIT simultaneamente, em Cambridge, Massachusetts, a segunda turma no Brasil já estava fechada e iniciando seu treinamento. “A terceira turma no Brasil será em maio na cidade de São Paulo”, afirma Vital.

Segundo o SEBRAE, só no Brasil são mais de 6 milhões de pequenas e médias empresas que podem se beneficiar da ajuda de um conselheiro na sua gestão. Estima-se que no mundo sejam mais de 120 milhões de pequenas e médias empresas com a mesma demanda.


LUCIANO VITAL é investidor, conselheiro de empresas, estrategista e mentor, considerado no mercado um empreendedor serial internacional e já participou ativamente de mais de 50 conselhos de startups, pequenas e médias empresas ao redor do mundo.

Com mais de 30 anos de experiência profissional em estruturação de negócios, fusões e aquisições, finanças, marketing, comunicação, vendas e investimentos em empresas nacionais e multinacionais de diversos tamanhos e segmentos como serviços, comércio, indústria, agronegócio, educação, produtos de consumo, logística e distribuição, financeiro, farmacêutico, médico-hospitalar, consultoria, energia, construção, esportes, papel e celulose, embalagens, estética, entre outros realizou projetos para mais de mil empresas transformando empresas e empresários ao redor do mundo com técnicas consagrada e inovadoras para empresas como Votorantim, Warner Bros., International Paper, WPP Group, Rigesa Me- adWestvaco, Benteler Automotive, Alujete, Haver & Boeker, Motorola, Samsung, Electrolux, além de centenas de empresas médias, pequenas e startups.

O estrategista chefe global do US Capital é graduado em gestão de negócios pela Harvard Business School (OPM46), com estudos especializados em Neurociência Aplicada e Solução de Problemas Complexos pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), Reestruturação Corporativa e em Finanças pela Harvard Business School nos Estados Unidos.

É ainda pós-graduado em marketing na Inglaterra pelo Marketing Training Specialists College de Londres e pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) no Brasil, graduado na PUC Campinas com estudos em estatística na Unicamp.



Website: http://www.capitalvital.com/
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual sua Rede Social Favorita?

47.5%
28.0%
16.1%
7.6%
0.8%