07/05/2019 às 12h24min - Atualizada em 12/05/2019 às 13h03min

Empresário analisa projeção do setor de smartphones para 2019

Empresário Darlan Almeida supera a crise do País e cresce com as vendas de celular no Brasil.

DINO


As projeções para o mercado de smartphones em 2019 são positivas. De acordo com a consultoria Gartner, os embarques de smartphones devem crescer 2,6%, chegando a 1,9 bilhão de unidades em 2019, com vendas 6,2% superiores a 2018, e com smartphones representando 87% das vendas totais de telefones celulares. Com base nessas projeções, empresas que atuam no segmento de vendas de celular já estão se movimentando fortemente para acompanhar esse desenvolvimento. Entre elas, está a Casa do Celular, que prevê crescimento de 20% em 2019.

De acordo com o empresário Darlan Almeida, o mercado está cada vez mais propício para esse ramo, uma vez que o brasileiro é “heavy user” de smartphone. Segundo levantamento global realizado pelo IAB – Interactive Advertising Bureau, que estudou hábitos do uso do celular no dia a dia das pessoas, os dispositivos móveis estão cada vez mais presentes na vida delas. E, no Brasil, o habito é acima da média global; 38% dos brasileiros usam o smartphone por seis horas ou mais diariamente, enquanto a média mundial de uso por seis horas é de 22%.

Hoje, a Casa do Celular está em 13 Estados do país, com 33 lojas. “Sempre pensei na frente. Várias vezes eu cai diante dos problemas, mas sempre eu levantei. Lutei muito, porque meus sonhos são grandes”, relata o empresário Darlan Almeida. 

Com uma infância complicada, começou a trabalhar aos 7 anos para ajudar seus pais, envolveu-se com a venda de aparelhos tecnológicos na adolescência, apenas para ser uma renda complementar.  Antes de obter sucesso, Darlan abriu sete empresas e todas faliram. Focado e determinado, abriu a “Casa do Celular”, empresa que fatura 10 vezes mais comparando ao primeiro mês em que a inaugurou. "O destemido faz sua sorte", como diz Darlan Almeida.

Darlan conta que o país passou por uma grande crise econômica e estava na contramão. “Foi um ciclo de sucesso e transformei a Casa do Celular em franquia. Por conta disso, precisei me mudar para um grande centro, pela distância de Santarém às grandes capitais. E eu escolhi Fortaleza”. Em pouco mais de um ano, ele decidiu expandir com o modelo de franquia.

Para 2020, a expectativa é de alcançar unidades franqueadas e começar o projeto de internacionalização.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »