05/06/2020 às 14h47min - Atualizada em 06/06/2020 às 00h00min

Documentário destaca os aprendizados da crise hídrica na bacia do Paraíba do Sul

Primeira memória audiovisual do CEIVAP retrata a maior seca da bacia sob a visão dos principais protagonistas que atuaram no gerenciamento do processo

DINO
http://ceivap.org.br
Documentário está no canal do Youtube do CEIVAP

Desde a segunda metade da década de 90, a bacia do rio Paraíba do Sul vem passando por eventos hidrológicos de escassez de água e baixos armazenamentos em reservatórios. A seca prolongada na bacia, ocasionada principalmente pela falta de chuva entre os anos de 2014 e 2015, caracterizou um dos maiores eventos críticos ambientais de sua história. Nesse contexto, o Comitê de Integração da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (CEIVAP), resolveu retratar, por meio de uma memória audiovisual, os aspectos e a gestão dessa crise.

O histórico foi protagonizado pelas principais entidades que atuaram na gestão da crise hídrica na bacia: representantes da Agência Nacional de Águas (ANA); Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM); Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE); Instituto Estadual do Ambiente (INEA); membros do CEIVAP; Comitê Guandu; Comitê Baixo Paraíba do Sul; AGEVAP; entre outras instituições.

Ocasionada principalmente pela estiagem e pela queda nos níveis dos reservatórios, a bacia do Paraíba registrou seus piores índices em 84 anos de história, causando impactos ambientais, sociais e econômicos nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. De abril de 2014 aos dias de hoje, o Grupo de Trabalho Permanente de Acompanhamento da Operação Hidráulica na Bacia do Rio Paraíba do Sul para atuação conjunta com o Comitê Guandu (GTAOH) realiza reuniões, presenciais ou por videoconferência, para discussões e monitoramento acerca da qualidade e quantidade das águas na bacia.

O documentário produzido pelo CEIVAP traz à tona todas as experiências e aprendizados que a crise proporcionou. Os representantes do Comitê, engajados através do GTAOH, atuaram e continuam trabalhando de forma integrada e resolutiva, para garantir a segurança hídrica na bacia do Paraíba do Sul.

Assista o documentário pelo link a seguir www.youtube.com/watch?v=Ami4SaTzhzw.

Como funciona o sistema hidráulico da bacia?
O sistema hidráulico do rio Paraíba do Sul é um complexo conjunto de estruturas existentes nas bacias hidrográficas do Paraíba do Sul e do Guandu. Os principais reservatórios da bacia são Paraibuna, Santa Branca, Jaguari e Funil. A capacidade total desses reservatórios (reservatório equivalente) é de 7.294,7 milhões de metros cúbicos, dos quais 4.341,9 milhões de metros cúbicos estão dentro da faixa normal de operação (volume útil total). Desses, o reservatório de Paraibuna é o que possui a maior capacidade de armazenamento em termos de volume útil (61%), seguido por Jaguari (18%), Funil (14%) e Santa Branca (7%). Os reservatórios estão localizados no estado de São Paulo, exceto o de Funil que se localiza no estado do Rio de Janeiro.

Papel do CEIVAP na bacia do Paraíba do Sul
Um dos pioneiros no sistema de gerenciamento hídrico, o CEIVAP é o órgão responsável pela gestão da bacia do Paraíba do Sul, que compreende 184 municípios nas regiões dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Desde a sua criação, o Comitê atua viabilizando programas de gerenciamento, recuperação e proteção dos recursos hídricos na área da bacia. Há elaboração de estudos, planos e projetos, intervenções para preservação e conservação de mananciais, além de ações de comunicação, educação ambiental e mobilização.



Website: http://ceivap.org.br
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual sua Rede Social Favorita?

52.3%
29.0%
15.9%
2.8%
0%